A verdadeira doença por Edward Bach

” O orgulho deve ser, em primeiro lugar, à incapacidade de se reconhecer a pequenez da personalidade humana e sua  absoluta dependência da Alma, e de aceitar que todas as vitórias que se possam ter não se devem a essa personalidade, mas são bênçãos com que nos agraciou a Divindade interior; em segundo deve-se  á perda do senso de proporção, da noção de quanto se é insignificante diante do complexo arranjo da Criação. Como o orgulho se mostra invariavelmente relutante em se curvar com humildade e resignação à Vontade do Grande Criador, ele pratica ações contrárias a essa Vontade.

A crueldade é uma negação à Unidade de todas as coisas e uma incapacidade de compreender que toda ação adversa para o outro está em oposição ao todo e é, portanto, uma ação contrária à Unidade. Segundo essa lei temos que amadurecer até entendermos que cada um, como uma parte do todo, de se tornar próximo de nós e querido por nós, e que até mesmo aqueles que nos molestam só lhes dediquemos amor e compreensão.

O ódio é contrário ao Amor, o reverso da Lei da Criação. Ele se opõe a toda a obra Divina e é uma negação ao Criador; conduz apenas a pensamentos e ações que são adversos à Unidade e contrários àqueles que seriam prescritos pelo amor.

O egoísmo é, também, uma negação à Unidade e ao dever que temos para com os outros, pois ele faz com que coloquemos nossos interesses pessoais antes do bem-estar da humanidade, do carinho e da proteção que deveríamos dedicar aos que estão mais perto de nós.

A ignorância é o fracasso em aprender, a recusa em ver a Verdade quando se tem a oportunidade para tanto, e conduz a muitos atos errôneos que só podem resistir quando está a rondar-nos a luz da Verdade e do Conhecimento.

A instabilidade, a indecisão e a falta de determinação ocorrem quando a personalidade se recusa a ser governada pelo Eu superior, e nos levam a atraiçoar os outros devido à nossa fraqueza.  Semelhante condição não seria possível se tivéssemos dentro de nós o conhecimento da Imbatível e Invencível Divindade, que é , na realidade, nós próprios.

A ambição conduz ao desejo de poder. è uma negação à liberdade e à individualidade de toda Alma. Em vez de reconhecer que cada um de nós está aqui para se desenvolver livremente segundo as próprias diretrizes e em conformidade com os ditames da própria alma, para aumentar cada vez mais sua individualidade e trabalhar com liberdade e desenvoltura, a personalidade ambiciosa compraz-se em ditar ordens, conformar tudo à sua vontade e comandar, usurpando o poder do Criador.

São esses os exemplos da real doença, a origem e a base de todos os nossos sofrimentos e aflições. Cada uma dessas imperfeições, se se mantiverem contrárias à voz do Eu Superior, provocarão um conflito que deve, por força da necessidade, refletir-se no corpo físico, produzindo um tipo específico de enfermidade.”

É isso aí!  Achei longo também,  mas só queria compartilhar o que eu acredito…

Se você é daqueles que só acredita no que um MÉDICO diz, este texto é do DR. Edwuard Bach, o criador dos Remédios Florais, pode acreditar!   Aliás,  acho foi pra isso que ele veio nesta tão estimada função que hoje infelizmente está tão defasada de bons profissionais.

Extraído do livro: Os Remédios Florais da Dr. Bach – Cura-te a ti mesmo: Uma explicação sobre a Causa Real e a cura das Doenças.  Ed. Pensamento.

"Para aquelas personalidades que sentem necessidade constante de êxtase"  Dr Bach.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: